IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Quarta, 07 de outubro de 2015, 15h20 | Tamanho do texto: A- A+

FERIADÃO

Turismo de aventura é opção de lazer para o feriado prolongado

Atividades praticadas na água ganham destaque entre os esportes radicais.

D´LAILA BORGES
Assessoria/Sedec-MT

 

Lucas Ninno/Gcom
Turismo de aventura em Nobres
Turismo de aventura em Nobres

Que Mato Grosso é um estado riquíssimo em biodiversidade e em atrativos turísticos todos sabem, mas o que muitos ainda não sabem é que existe um segmento no turismo crescendo muito e que oferece várias opções para agradar os mais diversos tipos de turistas. É o turismo de aventura também conhecido como esporte radical. As modalidades ofertadas em Mato Grosso são muitas, mas em uma coisa todos são unânimes, a preferência é por atividades realizadas na água. E o motivo não poderia ser outro: o clima.

Portanto nos próximos finais de semana e feriados prolongados as opções vão desde boia-cross, para os menos aventureiros, até o rapel para aqueles que gostam um pouco mais de adrenalina. E tudo isso pertinho da capital.

River SUP - Aproveitando esse calor dos trópicos e a grande diversidade de rios, cachoeiras e lagos, as agências e instrutores têm adaptado alguns esportes à realidade do Estado, como é o caso do river SUP, uma modalidade de stand up paddle em corredeiras de rios. Um esporte que tem ganhado adeptos a cada dia e que pode ser praticado por qualquer pessoa que curta estar em contato com a natureza.

O river SUP consiste em descer o percurso do rio em cima de uma prancha remando. Os rios Claro e Coxipó, a 30 km de Cuiabá, são os locais preferidos para a prática desse esporte. A procura tem sido tanta que a agência Companhia da Aventura tem turmas regulares com dezenas de praticantes saindo todos os sábados e domingos em dois horários. O percurso é de 6 km com duas paradas para descanso e lanche.


Gcom/MT
Rafting é uma das opções do turismo de aventura em Jaciara
Rafting é uma das opções do turismo de aventura em Jaciara

Conforme o instrutor Gabriel Maluf, para o river SUP ou para qualquer outro esporte de aventura não existe nenhuma contraindicação. “Qualquer um pode praticar. O importante é procurar uma agência, com instrutores capacitados”.

Ducking - O duck (caiaque inflável) é uma embarcação estável e fácil de manobrar. Esse esporte pode ser praticado individualmente ou em dupla e mesmo iniciantes podem conduzir o bote. Há duas opções de roteiros com diferentes graus de dificuldades e belezas naturais. São os rios Coxipó e Claro, sendo o primeiro com grau um e o segundo com grau dois de dificuldade. “O que determina o grau de dificuldade dos rios são as corredeiras. Quanto maior o grau, maior a emoção”, assegura o instrutor e proprietário da agência Tribo do Remo, Lino Bezerra.

Boia-cross - Esse esporte consiste em descer rios em boias individuais com o apoio de um remo. Os rios geralmente têm percursos demarcados e um leve grau de correnteza. Essa atividade é muito praticada em rios do distrito de Bom Jardim, município de Nobres.

Em Bom Jardim destacam-se o Duto do Quebó, uma descida de 1.200 metros, sendo que 280 metros deste percurso são dentro de um túnel repleto de estalactites que brilham como diamantes, o boia-cross do Juca com 2.000 metros de corredeiras e o boia-cross da Estância da Mata, que oferece um percurso de 1.200 metros de extensão com uma parada no meio do caminho para fazer uma tirolesa de 150 metros de comprimento e 80 metros de altura, que finaliza dentro da água.


Boia-padle - Essa é a versão mais radical do boia-cross, pois é praticada em águas mais turbulentas. As águas ideais para a prática desse esporte são as do rio Claro, em Chapada dos Guimarães.


José Medeiros/Gcom-MT
Flutuação em Nobres
Flutuação em Nobres

Flutuação - A flutuação, também conhecida como mergulho de superfície, é muito praticada em Bom Jardim em diversas lagoas, e rios de águas límpidas e transparentes, onde se pode nadar ao lado de piraputangas, pacus, dourados, piaus, pacus e arraias. Entre esses locais destacam-se o Aquário Encantado, o Refúgio Água Azul, o Recanto Ecológico Lagoa Azul, o Reino Encantado, os rios Triste e Salobra e o Balneário Estivado.

Rafting - Jaciara é conhecida como a cidade do turismo de aventura ou dos esportes radicais. O rio Tenente Amaral é muito procurado por aventureiros para a prática do rafting. O percurso do rio é bastante complexo, com algumas quedas d`água que chegam a três metros para a descida nos botes infláveis. Este esporte, de acordo com o instrutor Rafael Martins Sonsin, da agência Nativão, também não tem nenhuma contraindicação. “Qualquer pessoa pode praticar, independente da idade”, destaca.

Rapel - Rapel ou cachoeirismo (rapel feito embaixo da cachoeira) pode ser praticado nas cachoeiras das Mulatas, da Usina e da Fumaça, com 28, 25 e 43 metros, respectivamente, também em Jaciara.

Highline - Este é o mais radical dos esportes radicais praticados em Mato Grosso. Uma das modalidades do slackline, que consiste em equilibrar-se em uma fita a poucos centímetros do chão, o highline geralmente é praticado em fitas ancoradas entre rochas, cânions e prédios. Em Jaciara, o local escolhido é o cânion da cachoeira da Fumaça, de aproximadamente 45 metros de altura. Vale lembrar que são usados equipamentos de segurança e que os instrutores são devidamente qualificados.


Gcom/MT
Rapel em Jaciara
Rapel em Jaciara

Tirolesa - Em Bom Jardim, a tirolesa fica no topo da cachoeira Serra Azul. Após uma subida de 400 degraus para contemplar a bela queda d`água que forma um lindo lago de coloração azulada, onde também se pode nadar ao lado de dezenas de peixes, a segunda opção para quem não quer retornar pelas escadarias é descer sobre as copas das arvores. São 600 metros de pura emoção sobre a floresta.

Trilhas - As trilhas são indicadas para aqueles que gostam de caminhadas e de estar em contato com a natureza. Elas podem ser encontradas em diversos municípios. Uma das mais conhecidas é a das sete cachoeiras, que fica dentro do Parque Nacional de Chapada dos Guimarães e a do Vale das Perdidas, em Jaciara (140 km da capital), onde tem um sítio arqueológico com pinturas rupestres datadas há mais de três mil anos.

Arvorismo - Também em Chapada dos Guimarães outro esporte bastante praticado é o arvorismo. Esta atividade consiste em atravessar plataformas e passarelas montadas em meio às árvores.

Conforme Gabriel Maluf, que também organiza eventos de esportes de aventura no Estado, ainda existem em Mato Grosso, em uma escala menor, praticantes de paraquedismo, mergulho de cilindro, parapente e paramotor.

Vale lembrar que a prática de qualquer esporte de aventura requer o emrpego de instrutor habilitado e equipamentos de proteção individual e coletiva.

Infraestrutura

É olhando para todos esses atrativos turísticos e belezas naturais existentes em todas as regiões de Mato Grosso que o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec), reformulou e reiniciou este ano 11 obras de infraestrutura turística que estavam paralisadas e iniciou outra no município de Nobres (140 km da capital). São pavimentações de rodovias, troca de pontes de madeira por estruturas de aço e concreto e reurbanização de ruas de municípios turísticos.

A secretaria também tem investido na divulgação do Estado e de seu potencial turístico e na qualificação e treinamento da mão-de-obra do segmento. “Nós estamos trabalhando para transformar o turismo em um dos pilares do desenvolvimento econômico de Mato Grosso. Também vamos trabalhar muito forte o turismo de aventura, que é uma veia pulsante que Mato Grosso tem condições de desenvolver muito mais”, destaca o titular da Sedec Seneri Paludo.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: