IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Segunda, 25 de maio de 2015, 20h39 | Tamanho do texto: A- A+

REGIÃO NORTE

Prefeitos apresentam ao governador impactos causados pela Usina de Colíder

RENATA PRATA
Redação/Gcom-MT

José Medeiros/Gcom-MT
Reunião com representantes da região norte de Mato Grosso
Reunião com representantes da região norte de Mato Grosso

Um estudo sobre os efeitos sociais e ambientais referentes a construção da Usina Hidrelétrica de Colíder foi apresentado ao governador Pedro Taques por prefeitos das cidades da região norte do estado. A obra está sendo desenvolvida pela Companhia Paranaense de Energia (Copel) e está em fase de conclusão, sendo que a barragem da hidrelétrica no rio Teles Pires, de 1.526 metros de comprimento e 40 metros de altura, já está finalizada.

Os pontos destacados no impacto ambiental foram a deterioração da madeira nas regiões alagadas, a diminuição do número de peixes, causando prejuízos aos pescadores da região, e o risco de epidemias que as madeiras que estão apodrecendo em áreas de alagamento podem trazer.

Entre os efeitos sociais apontados pelos prefeitos está a quantidade de trabalhadores que migraram para a região e o impacto que isso gera na estrutura do município. O prefeito de Colíder, Nilson Santos, disse que o município vem sofrendo diretamente impactos sociais nas áreas de saúde, segurança, assistência social e educação.

O prefeito de Itaúba, Raimundo Zanon, explicou que o seu município quase dobrou o número de moradores nos últimos três anos por conta da construção da usina. Além do grande impacto social ele também destaca o efeito ambiental causado no município, já que, segundo ele, 74% da área de alagamento está localizada em Itaúba. “Vim reivindicar o uso da madeira que está sendo deteriorada para que seja destinada aos municípios impactados em forma de pagamento pelos danos ambientais. Esta madeira pode ser usada em benefício aos municípios”.

José Malice, representante da colônia dos pescadores, destaca que a diminuição de peixes atinge diretamente os 84 pescadores que representa. “Tínhamos uma cota de 150 kg por semana. Hoje não passa de 20 kg. Não vale a pena nem descer para o rio, não pagamos nossa despesa de viagem”.

O governador Pedro Taques reconheceu que a usina, por ser um grande empreendimento, causa um grande impacto social e ambiental e um desgaste para os municípios envolvidos que devem ser analisados e afirmou que irá marcar uma reunião com representantes do governo do Paraná e da Copel.

Participaram da reunião os prefeitos de Colíder, Nilson Santos, de Itaúba, Raimundo Zanon, de Nova Canaã do Norte, Vicente Gerotto, os deputados estaduais Pedro Satélite, Nininho e Oscar Bezerra, vereadores e representantes da sociedade da região norte.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: