IDIOMA

 
 
 
Serviços de A a Z
Sexta, 13 de novembro de 2015, 11h22 | Tamanho do texto: A- A+

RICARDO FRANCO

Garimpeiros são retirados do Parque Estadual Serra de Ricardo Franco

Fiscais da Sema e policiais militares estão na área de proteção ambiental de Vila Bela da Santíssima Trindade, na divisa com a Bolívia, onde estão cerca de 40 garimpeiros que vieram de Pontes e Lacerda tentam encontrar ouro

ROSE DOMINGUES
Assessoria/Sema-MT

Um grupo de pelo menos 40 garimpeiros está sendo retirado nesta sexta-feira (13) do Parque Estadual Serra de Ricardo Franco, no município de Vila Bela da Santíssima Trindade, que fica a 37 km de Pontes e Lacerda (448 km da capital), na divisa com a Bolívia, por fiscais da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) e policiais militares. Com a ordem de fechamento do garimpo pela Justiça Federal no município vizinho, eles seguirem com os equipamentos e estavam já há três dias na área - que é unidade de conservação - para fazer prospecção do ouro no solo. A ação de desintrusão se iniciou por volta das 7h de hoje.

Conforme o coordenador de Unidades de Conservação da Sema, as informações que chegaram ao órgão ambiental ainda são imprecisas, mas é provável que haja entre quatro ou cinco acampamentos de garimpeiros na Serra onde esse tipo de atividade é crime e não se pode licenciar garimpo. Em razão da gravidade da ação dessas pessoas, a orientação para a PM é apreender todos os instrumentos encontrados ou destruí-los no local, e os garimpeiros serão presos em flagrante. “Caso exista um maior número de pessoas, nosso pessoal vai continuar com a operação até domingo, com vigilância para que ninguém volte. Como é uma área protegida, o Governo do Estado pode agir de imediato para impedir que aconteça o mesmo que em Pontes e Lacerda, nossa ação não precisa esperar ordem judicial. Quem estiver lá já está cometendo crime ambiental”.

O Parque Serra de Ricardo Franco tem 158,6 mil hectares de bioma Amazônia, faz divisa com o Parque Nacional de Noel Kempff, em Santa Cruz, Bolívia, que é umas das referências mundiais em trilhas de longo percurso e de aventura. Além disso, esta é uma unidade de conservação de Mato Grosso que pertence ao grupo de ‘proteção integral’, onde pode ser feito apenas uso indireto com ações de turismo ecológico, como passeios, trilhas e educação ambiental. A Sema já tem na sua programação para lançar edital para contratar uma empresa que faça o plano de manejo do Parque no início de 2016. A partir disso será possível ampliar o uso do turismo, que por enquanto está restrito ao circuito de trilhas da Cachoeira dos Namorados, que é um espaço que será revitalizado e é muito utilizado pela população da região.

Newsletter
Preencha o formulário abaixo para receber nossos boletins: