IDIOMA

 
 
 

SOCIAL

 
 
 
 
 
 
Serviços de A a Z
Radio

RÁDIO WEB

Segunda, 08 de setembro de 2014, 16h34 | Tamanho do texto: A- A+

Jornalista consolida a imprensa contemporânea na Capital


Redação/Secom-MT

Chico Valdiner/Secom-MT
Pedro Rocha Jucá fundou o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso e o presidiu por quase dez anos
Pedro Rocha Jucá fundou o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso e o presidiu por quase dez anos

Foi pelas mãos de Rubens de Mendonça que Pedro Rocha Jucá foi levado ao jornal O Estado de Mato Grosso. Jovem e sonhador modernizou o jornal e dele só saiu após a venda da pioneira empresa jornalística que havia implantado em Cuiabá. Em seu caminho deixou um rastro de inovações que marcaram o jornalismo regional e a sua própria vida. Cearense de Crato, ele chegou a Corumbá, onde seu pai residia há quatro anos, em 09 de fevereiro de 1959. Em julho do mesmo ano veio a Cuiabá para participar da criação da União Mato-grossense dos Estudantes Secundários (Umes) e se fixou na Capital do Estado.

Em Cuiabá ele prestou o serviço militar, concluiu o curso científico no então Colégio Estadual de Mato Grosso, formou-se em Direito pela Faculdade de Direito de Cuiabá e em Pedagogia pela Universidade Federal de Mato Grosso, fundou o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso e transformou o jornal O Estado de Mato Grosso no mais importante órgão da imprensa cuiabana da sua época. Por isto, prefere ser lembrado como jornalista, após uma longa caminhada que começou aos 15 anos em sua terra natal.

O jornal O Estado de Mato Grosso enfrentava os mesmos problemas de sobrevivência dos demais, às voltas com dificuldades financeiras e carência técnica. Em 27 de agosto de 1939 foi fundado pelo jornalista Archimedes Pereira Lima, que foi nomeado para presidir a Fundação Brasil Centra e teve de deixar a direção do jornal. A reativação do prestígio de O Estado de Mato Grosso ocorreu na administração de Lenine Póvoas, que também teve de se afastar para ser conselheiro do Tribunal de Contas do Estado.

Depois de pertencer a um grupo de investidores do Rio de Janeiro, o jornal foi adquirido pelo então deputado federal Rachid Saldanha Derzi, que autorizou o jornalista Pedro Rocha Jucá a realizar os projetos de modernização. O primeiro passo foi renovar a tipografia, ampliar a venda e buscar o anúncio a varejo dos comerciantes locais. O corpo de redatores era reduzido, mas dava destaque ao noticiário local, aos esportes, à cultura regional e ao colunismo social.

Estava iniciada a consolidação da imprensa contemporânea, com a substituição dos jornais políticos por semanários de grande prestígio. Com a publicidade implantada pelo jornalista Pedro Rocha Jucá, os anúncios saíram dos limites das datas comemorativas ou das escassas promoções numa época de comércio restrito e mercado consumidor ainda pequeno. A transformação de O Estado de Mato Grosso em empresa jornalística foi decisiva, pois somente idealismo não era o suficiente para acompanhar os continuados investimentos que surgiram, fixando as bases do alto nível obtido pela Editora Cuiabá Ltda.

O jornalista Pedro Rocha Jucá também investiu na formação, mas dedicou-se mesmo ao jornalismo. Fundou o Sindicato dos Jornalistas de Mato Grosso, que presidiu por quase dez anos, foi correspondente em Cuiabá de O Estado de S. Paulo e da revista Visão. Manteve por 12 anos o primeiro blog de Mato Grosso, o Varanda Cuiabana, divulgando notícias e cultura. Aos 73 anos escreve outro livro sobre a História de Mato Grosso, que terá versão tanto impressa como virtual.

Ao longo de sua vida, Jucá recebeu, entre outros, os seguintes títulos e comendas:

 

Chico Valdiner/Secom-MT
Entrevista com o Jornalista Pedro Rocha Jucá
Jovem e sonhador, o jornalista Pedro Rocha Jucá modernizou o jornal O Estado de Mato Grosso



- Cidadão Cuiabano Honorário, da Câmara Municipal de Cuiabá, pelo Decreto Legislativo nº 030/72, de 11/12/1972.

- Comenda da Ordem do Mérito de Mato Grosso no Grau de Cavaleiro, do Governo do Estado, pelo Decreto nº 216/83, de 09/09/1983.

- Comenda da Ordem do Mérito Legista Cuiabano, da Câmara Municipal de Cuiabá, pelo Decreto Legislativo nº 029/83, de 29/09/1983.

- Medalha do Pacificador, pelo Ministério do Exército, entregue em 19/11/1991, na 13.ª Brigada de Infantaria Motorizada, em Cuiabá.

- Comenda Memória do Legislativo, da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, pela Resolução nº 175/98, de 05/01/1999, entregue em 16/08/2001.

- Cidadão Mato-grossense Honorário da Assembleia Legislativa do Estado de Mato Grosso, pela Resolução nº 85/2000, de 10/05/2000.

- Honra ao Mérito Luís Philippe Pereira Leite, da Prefeitura Municipal de Cuiabá, em 2000.